Diálogos // Henrique Furtado Vieira

Hits: 232
  • Data
    30 de outubro . sábado . 21h30
  • Duração
    65 min
  • Público alvo
    M/6
  • Preço
    7,50 €
  • Observações
    descontos aplicáveis

Em Diálogos, a ação dos corpos encontra múltiplas formas de organização que põem em vibração uma «conversa de chacha», dando assim visibilidade à dimensão sociológica, mas sobretudo existencial, absurda, trágico-cómica, do desempenho performativo que sustentamos na vida de todos os dias, no nosso quotidiano mais trivial. O corpo abre rachas nas palavras e mergulhamos nos abismos, nas fúrias, nos monstros, nos silêncios, nos buracos negros, nas utopias e nas distopias que palpitam dentro destes diálogos que nos parecem querer dizer «está tudo bem».

BIO// Engenheiro em Energia e Meio Ambiente, bailarino, performer e coreógrafo, Henrique Furtado Vieira efetuou a sua formação artística em várias instituições europeias, colaborando como intérprete com artistas nacionais e internacionais. Colabora atualmente com Aloun Marchal e Chiara Taviani na criação de espetáculos/performances onde os estilos e os géneros se sobrepõem, e onde a presença vocal e a imaginação têm um lugar de destaque.

Conceção e direção artística Henrique Furtado Vieira
Performance e cocriação Catarina Vieira, Leonor Mendes, Sérgio Diogo Matias
Desenho de luz, direção técnica e espaço cénico Hugo Coelho – Aldeia da Luz
Sonoplastia João Bento
Figurinos Rita Álvares Pereira
Assistente de figurinos Ana Sofia Vicente
Execução de cenografia Rita Pico
Olhar exterior Joclécio Azevedo
Coordenação e produção Cátia Mateus
Administração Vítor Alves Brotas | Agência 25
Coprodução CCB – Centro Cultural de Belém
Residência de coprodução Espaço do Tempo
Residências e apoio Forum Dança, O Rumo do Fumo, Pro.dança, Câmara Municipal de Lisboa/Polo Cultural Gaivotas | Boavista
Agradecimentos Maria Antónia Matias, Marta Ramos, Marta Vieira, Miguel Pereira, Sofia Dias, Tânia Guerreiro, Tiago Barbosa, Tomás Mendes, Vera Mantero, Vítor Roriz

Redes Sociais
Tagged under: Dança